Buscar
  • grupormattos

O uso do álcool prejudica sua saúde mental!

O álcool é uma substância altamente tóxica capaz de causar graves problemas de saúde com quadros irreversíveis de doenças ocasionadas pelo consumo excessivo. De acordo com a OMS (Organização Mundial da saúde), 3 milhões de pessoas no mundo morrem todos os anos decorrentes do uso exagerado da bebida.


A bebida que hoje se faz presente em diversos contextos sociais, teve sua origem no período Neolítico quando surge a agricultura e a invenção da cerâmica. Desde então o ser humano passou a consumir o álcool de alguma maneira sem ter conhecimento sobre o seu perigo para a saúde.


Foi somente no período industrial que algumas doenças foram associadas ao consumo exagerado do álcool. Mas mesmo assim, ele não perdeu seu lugar cativo na sociedade e para piorar, a indústria passou a incentivar o uso por meio de propagandas midiáticas que agregavam e agregam ainda, valor e vantagens em seu consumo. As cenas são praticamente um convite ao mundo de diversão e prazer, onde todos partilham com brindes alcoólicos suas alegrias. As outras associações que foram criadas e estão atreladas ao consumo do álcool, é fazer dessa substância, um alívio para a solidão ou tristeza. Assim, criou-se esse invólucro em torna da bebida que dificulta uma visão mais realista e cuidadosa que deveríamos ter a respeito do álcool.


Como o organismo reage ao álcool


O álcool é uma droga depressora do sistema nervoso central. Os primeiros efeitos causados pela sua ingestão oferecem uma sensação de desinibição e relaxamento porque atua diminuindo o nível de atividade do cérebro deixando o organismo mais lento. Em contra partida aos efeitos considerados agradáveis, o álcool também diminui a atenção, a concentração, afeta a memória e a capacidade intelectual.

Quando ingerido em altas dosagens, a substância ocasiona falta de coordenação motora, sono, alteração do humor, provoca estados de agressividade ou euforia e pode levar a pessoa a depressão e a desenvolver a dependência química. Quando consumo se torna constante e excessivo, entra-se numa zona muito perigosa. Nesse momento, o álcool já ocasionou muitos estragos na vida da pessoa afetando o trabalho, o meio social e a família. Na tentativa de abandonar o vício do álcool, depara-se com os efeitos da síndrome da abstinência que são dolorosos e insuportáveis. As reações orgânicas ocasionadas pela falta do álcool são caracterizadas por:

  • Confusão mental

  • Ansiedade

  • Tremores

  • Convulsões

  • Dores no corpo


As funções do fígado, coração e estômago também são comprometidas e em um futuro próximo, podem surgir doenças graves nesses órgãos decorrentes do abuso do álcool.

Sua Saúde mental também está em risco!


Fora os comprometimentos orgânicos, o álcool pode afetar gravemente a sua saúde mental. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) aproximadamente 2 bilhões de pessoas no mundo fazem uso bebidas alcoólicas de modo social ou problemático. Este levantamento demonstra a urgência em implantar cada vez mais campanhas que fortaleçam o uso consciente da bebida e diminua o uso abusivo que é responsável por 3,2% de todas as mortes e por 4% de todos os anos perdidos de vida útil. Esses índices aumentam consideravelmente em relação a América Latina onde cerca de 16% tem a vida útil afetada relacionados ao uso indevido da substância. Diante desse levantamento os alertas a respeito do consumo exagerado, precisam ser mais eficientes e são de extrema urgência. A saúde mental da população corre sérios riscos de comprometimento.


Passado o momento inicial que traz a sensação de relaxamento, o álcool tem efeito depressor no sistema central por aumentar as quantidades de neurotransmissor GABA, que pode inclusive, provocar perda da consciência. Os danos relacionados a memória podem ser permanentes e ainda causar quadros de depressão, transtorno de ansiedade e alterações do humor. É certo que qualquer uma dessas condições, afeta a vida em todos os seus âmbitos e ocasiona muitos danos e perdas ao longo do tempo. 40% dos dependentes de álcool sofrem de depressão. Essa condição afeta ainda mais as funções orgânicas e dificultam os tratamentos e a saída dessa condição.


Depois de conhecer todos os problemas do uso abusivo do álcool, o que podemos fazer já que este continuará presente nas mais diversas situações sociais e permanecerá disponível facilmente para o consumo?


O álcool causa danos em qualquer quantidade, mas a frequência do uso e a quantidade da sua ingestão coloca o sujeito mais próximo dos perigos existentes. Temos que aprender sobre o álcool e mudar comportamentos que hoje estimulam seu consumo. A ideia é que a imagem deixe de associar somente os prazeres como se não existe o outro lado da questão. Esse é um trabalho educativo e longo e somente as futuras gerações podem desenvolver uma nova relação com forma de beber. O modo de relação com a bebida é que irá mudar esse quadro e diminuir os índices de pessoas adoecidas pelo seu uso. Sendo assim, é preciso entender quais quantidades podem estabelecer um limite considerado suportável para o organismo. Mas além da quantidade, é preciso alertar para a frequência e idade pois, essas duas situações podem construir um padrão alcoólico. O alerta então é:


· Quantidade

· Frequência

· Idade


A OMS (Organização Mundial da Saúde) disponibiliza um indicativo para o consumo em que apresenta um estudo relacionado aos efeitos tóxicos do álcool no organismo, mas isso não garante a total seguridade do seu uso, ou seja, outros fatores podem ser determinantes como a pré-disposição genética, que carrega a doença do alcoolismo, por exemplo, e independe de quantidade, idade ou frequência. Assim que provado, todo o mecanismo orgânico da doença entra em ação.


A OMS diz que o consumo não pode superar o equivalente a três copo de chope ou uma dose de destilado por dia, isso equivale a 30 gramas da substância para um organismo saudável. Em quantidades maiores do que esta, o organismo sofre danos e entra em uma zona de risco.

Confira:



A dependência química é uma das doenças causadas pelo consumo do álcool e sem ajuda especializada abandonar esse vício pode ser praticamente, considerado impossível!


O Grupo R Mattos com a missão de enfrentar essa batalha, oferece os cuidados necessários para a recuperação e reestabelecimento dos dependentes químicos. Conte com a gente, podemos ajudar vc!

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo